Geral Política

Deputado catarinense pede o afastamento do presidente da PREVI, fundo do Banco do Brasil

No que depender do deputado federal Jorge Goetten (PL), o maior fundo de pensão da América Latina, a PREVI do Banco do Brasil, não ficará sob o comando do sindicalista João Fukunaga. O parlamentar apresentou ao Tribunal de Contas da União uma representação – espécie de denúncia – na qual pede o afastamento do atual presidente, justificando que o seu currículo não é compatível com o cargo.

Graduado em história, Fukunaga é funcionário do BB desde 2008 com o cargo de escriturário. Porém, ainda em 2012 optou pela carreira no sindicalismo, ocupando posições em cargos de direção no Sindicato dos Bancários de São Paulo.
A PREVI conta com cerca de 200 mil beneficiários e é a maior acionista da mineradora Vale.

Conforme Goetten, a indicação do nome não foi devidamente justificada. “Não estamos falando de qualquer cargo de chefia. É um cheque de 250 bilhões de reais para uma pessoa que não tem experiência com gestão, finanças ou administração. No mínimo questionável”.

 

Por: Eduarda Molossi – Assessora de Imprensa

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Grupo de Notícias