Segurança

Santa Catarina registra queda de 31,5% em mortes violentas em 2023; veja números

Foto: PCSC/Reprodução/ND

A Polícia Civil anunciou nesta terça-feira (5) uma redução significativa em casos de mortes violentas em Santa Catarina em 2023. O levantamento aponta uma queda de 31,5% de crimes de lesão corporal seguida de morte e o impressionante declínio de 47% de casos de latrocínio, comparados ao mesmo período do ano passado. Os dados também apontam para uma diminuição de 2,46% no número de homicídios em relação a 2022.

O delegado-geral Ulisses Gabriel destacou que esses dados positivos são frutos de uma estratégia de aprimoramento das investigações, investimentos em tecnologia e na capacitação contínua dos profissionais envolvidos.

“Nós estruturamos delegacias de investigação, tanto na capital, quanto em outras cidades. Adquirimos quase 300 novas viaturas exclusivamente dedicadas para investigação. Investimos uma quantia considerável em computadores, que era um dos nossos problemas. E também investimos na qualificação do policial, que fez muita diferença”, afirmou

Aumento de mandados de busca em Santa Catarina

O delegado-geral disse que o aumento de produtividade dos agentes de segurança é notável e os dados comprovam. Este ano, houve um aumento de 66% de mandados de prisão e um acréscimo de 59,7% de mandados de busca e apreensão em comparação com o ano passado. Foram um total de 7.511 ações destinadas a buscar provas incriminatórias, como documentos, celulares, armas e drogas.

O delegado-geral também atribui o sucesso destes índices a uma integração sem precedentes entre diversas instituições de segurança. “Estão atuando em conjunto vários atores: Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Científica e o Corpo de Bombeiros. A gente está fazendo reuniões de articulação e tendo uma integração, acho que nunca antes teve em Santa Catarina”.

Ulisses também destacou o importante papel das entidades jurídicas para a agilidade das ações. “O Ministério Público de Santa Catarina também tem se manifestado muito rápido, com decisões ágeis dos juízes, isso tem permitido que mandados de prisão saiam e possam ser cumpridos”, disse o delegado-geral.

A produtividade aumentou ao mesmo tempo que o número de profissionais caiu no Estado. Ao longo de 2023, 144 profissionais saíram do quadro de servidores da Polícia Civil. Os últimos concursos realizados para agentes e escrivães foram em 2017, para delegados em 2014 e para psicólogos policiais em 2010.

No entanto, Ulisses disse que há expectativas de realização de novos concursos públicos em breve: ”Antes estávamos nos sentindo abandonados. Mas neste ano, o governador autorizou novos concursos e isso motivou o pessoal”.

Além de implementar uma estratégia para combater o crime, o delegado disse que também melhoraram o atendimento à comunidade: “Nós melhoramos o ambiente de trabalho do policial, para motivar e inspirar os servidores a recepcionar melhor a vítima”.

Correlata ATLAS da Violência

No Atlas da Violência, divulgado na terça-feira (5), é possível comparar dados de Santa Catarina com outros estados brasileiros até o ano de 2021. Neste levantamento, por exemplo, Santa Catarina é o segundo com a menor taxa de homicídios (9,7) se comparado ao de São Paulo (6,6).

Os catarinenses também ocupam a segunda posição na taxa de mortalidade de pessoas negras, 13 casos a cada 100 mil habitantes, somente atrás dos paulistas. Em relação a de violência contra mulher, o Estado alcançou a terceira menor taxa, com 2,5 mortes a cada 100 mil habitantes, atrás de Minas Gerais (2,3) e São Paulo (1,5).

 

 

POR: DAIANE NORA, ND FLORIANÓPOLIS

 

 

 

Grupo de Notícias